sexta-feira, setembro 21, 2007

Odeio cigarro

Não gosto da palavra "odeio", nem daquelas comunidades no Orkut que dizem: "Odeio isso ou aquilo", tirando a que é para mim, é claro, hehe. Tem uma coisa que não me incomodo em dizer que odeio: o cigarro. ODEIO O CIGARRO. Vejo meus amigos fumando e acho muito estranho, pois são pessoas bem inteligentes e sabem que o fumo não leva a lugar algum. Quando se trata de pessoa amada, então, me ponho a perguntar: como posso beijar a boca por onde passa tamanha imundice? Então a resposta vem logo: quem ama passa sobre isso e sobre a catinga que fica no corpo, na roupa, no cabelo e por tudo que está por perto de quem fuma. E não há higiene pessoal que tira esse fedor. Que pena!

terça-feira, setembro 18, 2007

Certeza

Ah, como é bom explorar meu coração. Ver cada canto, cada milímetro, e conseguir entender o que ele diz. Na verdade ele grita e eu é que não tinha aprendido a ouvir. E o que ele faz ecoar dentro do peito é que a felicidade é pode ser permanente, duradoura, mesmo que com momentos de turbulência, como qualquer vôo.
É assim que estou: feliz. E sei que isso é para sempre; sei que não é fácil, nem simples chegar a essa conclusão, mas posso dizer com a certeza de quem viveu 28, quase 29 anos. Pode parecer pouco, se comparado com muita gente, mas é o suficiente para saber o que quero para minha vida e o quanto essa certeza é importante para cada um de nós.