segunda-feira, janeiro 07, 2008

Salve as corujinhas

A virada do ano mostrou que os brasileiros ainda têm consciência ecológica. Em Capão da Canoa o que era para ser uma super queima de fogos virou um fogareiro por causa de dois animais: o casal de corujas buraqueira. Vi as pequenas e estou plenamente satisfeito com o ínfimo show pirotécnico que assisti. Afinal, só foi assim para não assustar ainda mais os tímidos bichinhos dos olhos arregalados, diante de tanto movimento.
A ação da polícia, ao impedir a queima, foi frustrante para quem estava lá, mas oportuna. Está salvo o casal de coruja buraqueira, ao menos, por enquanto. Manos sorte teve o Papai Noel. Amante do frio, o bom velhinho vê sua terra natal - ou seria gelo natal? - derreter mais rápido a cada ano. Já se tem até data para o fim do Pólo Norte. E lá se vai, mar à dentro, o endereço para onde mandamos as cartas em todo o final de ano, na espera dos presentes. Culpa dos homens que, ao contrário da Polícia de Capão da Canoa, não têm consciência de que com o aquecimento global, gerado pela poluição, vai acabar com o gelo do mundo, inundar lindas cidades do litoral e estragar este planeta sensacional.
Egoísmo, ambição, ignorância,... Não sei qual adjetivo merece este povo, que pouco ou nenhuma atenção dá ao ambiente em que vive. O certo é que com tantas ações impensadas e irresponsáveis, perderemos muito mais do que o Papai Noel. Com o tempo não vai nos restar nem o direito de viver na Terra. Duvida? Também não acreditávamos no fim do Pólo Norte e ele está se entregando; nem na importação de água que alguns países já têm que se submeter.
As buraqueiras de Capão da Canoa, com toda sua timidez, conseguiram mostrar para o país o que é consciência ecológica. Alguns políticos de lá até disseram que os fogos não incomodariam os bichinhos. Ledo engano. O tempo vai mostrar, pois quando perderem uma eleição, provavelmente, as suas casas vão ser tomadas de foguetes adversários – hábito da politicagem – e eles não vão gostar nenhum pouco disso. Nessa hora, as buraqueiras vão estar vivas e rindo à toa.
Ainda há quem crê que as corujinhas trazem mau agouro, má sorte. Péssima sorte quem teve foram elas por estar em um local onde o ser humano, dito racional, domina e ocupa totalmente no período de verão, buscando salgar a virilha.