domingo, outubro 24, 2010

A culpa é dos artistas

Não costumo notar a forma como as pessoas se vestem, ou se fantasiam - me parece que é o que começa a ser versado como moda -, mas vi algo, hoje, que me fez pensar. Uma mãe - acredito que seja - com dois rapazes, que podem ser amigos ou irmãos, porque tinham idade aproximada, por altura, jeitos e forma de se portar. Os garotos estavam vestidos no mais clássico modelo Restart. Um deles usava aquele chapéu - modelo Chaves - com orelhinhas tipo cachorro, com um naco de cabelo na frente, quase cobrindo o rosto, óculos de grau com armação, que mais parece daquelas distribuídas em sorvete seco no passado; a calça colada, à meia bunda; blusa também de uma cor diferenciada, nem lembro de tantas que tinha; e um tênis botinha, estofado, verde-limão, com laranja, roxo e mais alguns detalhes. O outro se parecia muito, exceto por um diferencial: não tinha chapéu.
O que me fez pensar é qual seria o motivo para fazer estes garotos se fantasiarem e ficarem andando feito espantalhos. É evidente que é por influência dos meninos da banda Restart. Mas quando as pessoas passaram a adotar os mesmos moldes de vestimenta do que os artistas? Talvez esta seja a pergunta chave para elucidar minha dúvida. Os astros - cantores (as), atrizes e atores - se vestiam de forma diferenciada. Havia uma produção toda especial, com brilho, com pompa. Na tentativa de aproximação com seu público, os artistas passaram a se vestir sem o glamour habitual. Assim, seria possível, nas ruas, andar da mesma forma que os astros estavam nos palcos. Só que ninguém avisou ao público que, em determinado momento, eles iriam cometer exageros. Ou seja, eles dão um jeito de aparecer e a galera vai para as ruas fantasiado.
Tudo bem, cada um faz sua moda. Mas que dói olhar como estão vestidos, não tenho dúvida. Também da pena da mãe, ter que andar com dois garotos vestidos feito espantalhos. De uma coisa tenho certeza: são corajosos e têm personalidade - não deles, a do Restart, mas têm.

sexta-feira, outubro 01, 2010

Eleições

Domingo tem eleição. Não importa o nome, nem o número que escolherás. O relevante é que faça isto com a certeza de que está colocando na Assembleia, no Piratini, na Câmara, no Senado, e no Palácio do Planalto, pessoas com conhecimento, projeto, que tenham condições de representá-lo. E não é só para fazer bonito. É para garantir dias melhores e honrar tudo o que fizeram aqueles que lutaram para termos o retorno da democracia. Portanto, vote certo! Vá à urna e confirme!!!