terça-feira, abril 29, 2008

Pensar

Um dia alguém me disse: "Aproveita esta tua solidão para pensar!" Sabe que é uma boa idéia. Penso feito um maluco, mas tem horas que fico triste - agora, por exemplo. Queria conversar com alguém, trocar idéia; na verdade, queria um abraço. Só.

Armandinho

Quando Deus te desenhou, Ele estava namorando... Bueno, amanhã tem show do Armandinho. Acredito que vou ir. Já assisti, em Taquari, mas na época ele era só um Armadinhozinho... agora é o cara que está bombando por aí. Bom para ele! Legal para a gente que vai curtir um reguesinho (?)!

Mediocridade

A mediocridade das pessoas é algo que me assusta. Não tenho medo, apenas me surpreendo como são capazes de parecer uma pessoa e agir de forma tão decepcionante logo ali, quando não estiver mais na sua frente. Como podem ser tão escorregadios, tão malandros? Sei que a verdade pode machucar, mas não me arrependo de usar ela acima de qualquer coisa. O jeito libriano de ser, que tenta evitar o confronto, em nada impede que seja honesto e sério com os outros e comigo. Que bom se todos tivessem a mesma capacidade.

segunda-feira, abril 21, 2008

Dos olhos correm histórias; na cabeça, que dói pelo momento, surgem lembranças contemporâneas; o coração sangra, mas sem nenhuma novidade, afinal, ele é quem deve remeter sangue para o resto do corpo; é na solidão que penso, que vivo, que sou; é só assim: só e pronto.

Verdade

Houve tempo em que omitia algumas coisas, sentimentos sobretudo, para não magoar as pessoas. Hoje, pouco me importa. Quero estar de bem com minha mente e, por isso, prego a verdade, nua e crua; tipo doa a quem doer. Se não sabem lidar com a verdade, vão se ferrar! Vou conseguir o que quero assim. E eu sei muito bem o que quero.

Paciência

Sempre fui o maior exemplo do que dizem ser os nascidos no signo de Libra. Calmo, na minha, curtindo a vida sem agredir ninguém; por que me deparo sendo um ser tão irritado, nervoso, pavio curto? Queria ser mais libriano, mais paciente... preciso motivos para isto.

quarta-feira, abril 09, 2008

Saudade de rádio

Outro dia estivemos (a equipe do Programe-se: Maico Eckert, Rita de Cássia, Filipe Stacke e eu) na Rádio Transamérica Hits. Cara, foi muito bom. Que saudade tinha de fazer isto - santa cachaça que vicia para toda a vida. Falamos sobre o caderno, de forma bem divertida, com o pessoal do Transpirado. Eles mandam ver no horário do meio-dia. Valeu! Foi muito bom! hehehe Como curiosidade conheci o que é From UK e a galera da Hits.

Puts

Puta que pariu. Ih, foi mal, mas não podia deixar de dizer isto. Quero dar um soco nesta merda de parede, agora. Não se preocupe. Sou otário, mas não tanto. Só estou usando este espaço, porque não tenho ninguém para conversar agora. Foi mal outra vez. Quem está lendo não tem nada com isto. Abraço!

Deixa assim

Tenho tanta coisa para dizer, mas me sinto preso; meu peito está sufocado, ao ponto de ficar com falta de ar; até dói, às vezes. Que pena! Mas deixa assim, logo passa e tudo volta ao normal, espero.

Quem é feliz?

Feliz é aquele que não vive na clausura imaginária; feliz é aquele que curte seu amor com respeito mútuo; feliz é aquele que só sofre pela distância e o tempo em que não vê a pessoa amada; feliz, bueno, não sei quem é feliz. Tomara que todos sejamos!

bãh

Quanta tristeza em saber que não posso gerar alegria. Pelo contrário, minha presença gera irritação, stress, neurose.

quarta-feira, abril 02, 2008

Corrida

Caraca, que semana corrida, mas tudo dentro da normalidade e do que me propus. Vou ver cada vez mais cabelos brancos aparecerem na minha cabeça, mas deixe estar. Se um dia me incomodar, dou um jeito. Agora o que quero é aproveitar as oportunidades abertas e fazer o que melhor sei - acho que a única coisa que sei - jornalismo. Meus momentos sozinhos dentro do apê, ou viajando pela rua, entre o jornal e a solitude, diariamente, são oportunos para pensar que estou fazendo a coisa certa. Não tenho medo dos desafios, nem de cara feia. Sou pequeno, sei disso, mas é só a estatura. Viro guerreiro gigante quando quero. Ah, chega de ficar me achando, também. Vou dormir. Boa noite!!!

Odeio computador

A incoerência não costuma fazer parte de meus devaneios - eu acho, mas me paro diante desta máquina maldita para falar mal dela mesmo. Você já apagou uma pasta de arquivos sem querer. Sei a culpa não é da máquina, mas do idiota que apertou, junto com o enter, o delete. Mas a máquina poderia guardar, ter uma lixeirinha - nada. Neste caso se foi tudo para tonga da mironga. Que cacete. Com o perdão da repetição do baixo calão: que merda que fiz. Pior ainda: não eram meus os arquivos. Saco! Não dou um soco na parede, porque sei que vai doer a mão. Tudo porque esse computador idiota facilita as coisas e nem fez aquela pergunta besta se realmente quero apagar. Foi logo se prontificando a destruir o que outros fizeram. Tá louco.