sexta-feira, outubro 14, 2011

Posso ressucitar

Estou apto à ressucitação. A constatação não me parece real pelas minhas qualidades, que estão distante anos-luz do Cristo - nem quero incorrer em blasfêmia -, mas por ter chegado à idade do Cara. São 33 anos. Foram bem vividos? Acredito que sim. Poderia ter feito outras coisas; poderia ter feito outras escolhas; poderia nem ter feito tudo que fiz; de fato, poderia. Talvez fosse outra pessoa; estivesse em outro lugar; conhecesse seres diferentes dos que conheço e admiro hoje. Tudo "se". Se não fizesse isto, se optasse por aquilo, se, se, se,... É possível que eu me arrependa da forma como tenha conduzido algo nestes 33 anos. Por certo, porém, se fiz algo errado foi porque tive coragem de fazer, então isto deve ter servido de aprendizado. Me serve para deixar de lado o arrependimento e transformar esta ação em vivência. Sei que ainda tenho muito o que fazer. Sei que ainda tenho muito o que aprender. Sei que algo posso ensinar. De tudo o que passei, me orgulho. Me orgulho de minha família, dos amigos que conquistei, dos trabalhos e desafios aos quais me sujeitei e de tudo que ainda terei coragem de fazer. Entendo que meu nome é comum, mas mesmo assim estou fazendo a minha parte para deixar ele guardado na história - sem ter que ser pregado na cruz, nem passar por todo o sofrimento de Cristo, porque Ele é único. Enfim, numa avaliação dos 33 anos me cabe agradecer a Deus, à minha família, aos meus amigos, porque todos foram e serão importantes. Ralo pra caramba, mas sei que muitos gostariam de estar no meu lugar. E faço isto não para aparecer, mas porque me sinto bem trabalhando assim, e porque posso servir de exemplo para muitos outros. E vou continuar enquanto tiver saúde e ombros que me ajudem e caminhar.

sábado, outubro 01, 2011

Desafios

Nunca tive medo de enfrentar desafios; poucas vezes, porém, me atirei a eles por vontade. Foi necessidade ou circunstância. Também não fui de estabelecer metas pessoais audaciosas. Agora, é diferente. Mergulhei em um desafio bem audacioso, vou precisar de apoio, coragem, mas, acima de tudo, de muito trabalho; vou vencer e o resultado vai ser a conquista de uma meta bem audaciosa. Não só pela conquista, não só pelo pessoal, mas por um bem maior que julgo ser muito importante.

Uma noite daquelas

No palco, Serginho Moah, sem Papas, mas com um som bom demais; na pista eletrônica, uma sonzera na picape do Breno e do Santana; tinha pagode e muita música, mas o mais bacana foi fazer a festa com Gords, Natália, Leleco, Filipe e Perdiga. A Sprits de sexta-feira estava excelente. Rever amigos, ouvir um bom som, estar perto de pessoas legais em um bom ambiente. É bom demais!!! Nem a chuva, ou a possibilidade dela, assustou.