domingo, fevereiro 20, 2011

Não gosto de surpresas

Acredito que já externei minha opinião aqui sobre este assunto: não gosto de surpresas. Você pode pensar, e até chegar a conclusão, de que sou um cara chato e previsível. Talvez seja mesmo. Não me importa. O que tem relevância é o fato de que não me dou bem com o que não estou esperando. E falo de coisas da vida, para as quais a praticidade do cotidiano do trabalho não tem solução. Gosto, é lógico, de uma festinha surpresa (para mim ou para outra pessoa), porque elas são bem mais sinceras do que as tradicionais. Muitas vezes vamos em festas de quem nem conhecemos. As surpresas são mais verdadeiras. Ali costumam estar apenas os mais próximos. Não me fazem bem as surpresas como a montanha-russa. Mesmo vendo toda a trajetória, quando se está no brinquedo se perde a noção, e cada curva é uma nova e terrível surpresa. O que me assusta é isto: que a vida pode ser assim. Não é um relato pessoal da atualidade, mas uma análise do que se observa na sociedade.

sábado, fevereiro 19, 2011

Láctea do Vale

Hoje, no interior de Estrela, vi uma gente que gosta do que faz. Na verdade, um povo que é apaixonado pelo que faz. E não é uma coisa fácil, que possa dar inveja para muita gente. É uma tarefa que não tem folga, que tem horários marcados, que exige muita qualidade e crescimento da produção. E o lucro? Bom, o lucro depende de muitos fatores, mas não é lá estas coisas... Vale mesmo é a boa vontade. Você vai conhecer estas e outras histórias em Láctea do Vale. Em breve!

sexta-feira, fevereiro 11, 2011

Quero estar com o pé na estrada

Não adianta. Por mais que me considere acomodado sou obrigado a declarar amor à estrada. Quero viver viajando, conhecendo o mundo, ver outras histórias, pessoas diferentes, sotaques, danças, brincadeiras, coisas até incomuns aqui pela aldeia. Pode até ser fora do país, mas não sou tão exigente. Quero, por enquanto, visitar os tantos recantos deste Brasilzão continental; ver o mar lindo de Floripa, e a beleza do Pantanal. Estar no rio Amazonas, no Carnaval carioca, no extenso Nordeste, na histórica Minas Gerais. Isto, porque além dos limites do Rio Grande, conheço Fortaleza, Floripa e Porto Seguro (foto). São todas sensacionais.