domingo, março 27, 2011

Cadeira Vazia

Trabalhando no domingo à noite, sem prespectivas de horário para ir embora, e vem à cabeça a música que notabilizou Elis Regina: Cadeira Vazia. Ela foi corajosa quando se postou a interpretar esta canção, ainda guria. Emocionou a todos. A letra é esta:

"Entra, meu amor, fica à vontade
E diz com sinceridade o que desejas de mim
Entra, podes entrar, a casa é tua
Já te cansastes de viver na rua
E os teus sonhos chegaram ao fim
Eu sofri demais quando partiste
Passei tantas horas triste
Que nem quero lembrar esse dia
Mas de uma coisa podes ter certeza
O teu lugar aqui na minha mesa
Tua cadeira ainda está vazia
Tu és a filha pródiga que volta
Procurando em minha porta
O que o mundo não te deu
E faz de conta que sou teu paizinho
Que há tanto tempo aqui ficou sozinho
A esperar por um carinho teu
Voltaste, estás bem, fico contente
Mas me encontraste muito diferente
Vou te falar de todo coração
Eu não te darei carinho nem afeto
Mas pra te abrigar podes ocupar meu teto
Pra te alimentar podes comer meu pão"

Obama: pele de cordeiro

Comentário feito no Informativo Notícias (18h10min canal 20 da NET ou no www.tvinformativo.com.br) de quarta-feira, 23: "A estada do presidente Barack Obama,no Brasil, serviu para mostrar o quão importante é o poder da palavra e da informação. O presidente mais influente do mundo fez um discurso que entorpeceu os brasileiros. Foi bem mais Lula do que Obama. Diria mais. Melhor assessorado, foi além do que o popular Lula chegava. Obama tocou em pontos cruciais do cotidiano do brasileiro. Brincou com o futebol, falou de nossa arte citando Paulo Coelho e Jorge Ben Jor, demonstrou conhecer a história do país tupiniquim e de sua presidente, inclusive com destaque para a tortura sofrida pela – palavras de Obama – maravilhosa presidente. Envaidecida, Dilma viu passar pelo seu país um homem que é uma tsunami de conhecimento e de habilidade verbal. Conquistou toda esta simpatia e pareceu ser uma pessoa dócil e amável. Pessoalmente, até que pode ser, mas em meio a todas estas trocas de carinhos e palavras amáveis, Obama deu a ordem para a começar o bombardeio sobre a Líbia. Certo ou errado ele agiu como os seus antecessores, que consideramos crápulas. Parece mesmo que, por baixo daquela pele de cordeiro existe mais um lobo."

sexta-feira, março 18, 2011

Status quo

Nós jornalistas, por mais que se diga que não, precisamos muito mais do que dinheiro para viver. A quantia monetária nos encanta, faz comprar e suprir nossas necessidades materiais, mas não há como o status quo. E não me refiro ao reconhecimento do profissional como celebridade. Falo do reconhecimento de autoria, de dizer ou poder perceber que estão vendo que foi você quem escreveu aquele texto, falou no rádio ou exibiu na TV. Talvez seja este o motivo do salário do jornalista ser tão baixo. Ele se alimenta do status quo da produção textual. E não precisa ninguém dizer que o texto é bom ou ruim. Quem escreve bem sabe.

sábado, março 12, 2011

Carpie diem

Olhar filmes como "O dia depois de amanhã" ou "2012" parece ser divertido, mas eles são bem mais do que entretenimento. Servem como alerta. Admito que pouca atenção dava para isto. Não que pense em detonar com o meio ambiente, e que isto não vai repercutir em nada. Sei que agindo contra a natureza, um dia, chegaremos a situações terríveis como as dos filmes. Acontece que não tenho o fascínio que o povo tem em ver o mundo acabar. Então vejo o que os japoneses estão vivendo; o que os moradores de São Lourenço estão vivendo; o que os marque-souzenses viveram no ano passado. Daí penso que,..., sei lá. Há possibilidade de isto começar a virar rotina, de virarmos vítimas de nossas próprias ações egoístas, que fez com que este mundo se transformasse em um espaço turbulento.
Daí paro e penso, que deveria ficar mais tempo com todas as pessoas que amo, que devo viver estes dias como se não tivesse muitos pela frente. Carpie Diem forever!!!

domingo, março 06, 2011

É tetra! É tetra!!

Ontem à noite, a Sociedade Carnavalesca Irmãos da Opa conseguiu o tetracampeonato do Carnaval Regional do Vale do Taquari. Depois do tri no início do milênio, com títulos em Estrela, Bom Retiro do Sul e Taquari, o grupo foi a Lajeado e conseguiu demonstrar que ainda está preparado para os desafios de um júri. O time do Betão mostrou que é mesmo excelente. Parabéns!!! A minha torcida ficou mais do que dividida. Imagina: nasci em Bom Retiro do Sul - nada mais justo do que torcer pela alviazul Inhandava, que é tri simpática; vivi a maior parte de minha vida em Taquari, o que me faz ter um sentimento muito especial por Opa e Batutas da Orgia; estou em Lajeado, onde fui muito bem recebido, poderia, então, retribuir torcendo para as escolas lajeadenses. Mas, indiferente da minha torcida, o Carnaval Regional foi um sucesso! Parabéns aos organizadores!!!

sábado, março 05, 2011

Orgia liberada?

O Brasil transpira Carnaval. A televisão aberta só mostra desfiles, quer seja com fantasias e alegorias ou com caminhões gigantescos, que geram um estridente som. E toda esta folia é confundida com a libertinagem. O objetivo não é pregar moral, mas analisar este hábito do brasileiro de achar que, durante os quatro dias da Festa de Momo, está tudo liberado. Os rapazes andam caindo pela sarjeta, bêbados dia e noite, com a libido à flor da pela; as meninas, que costumam ser mais recatadas durante o ano, tomam cerveja no bico da garrafa, falam coisas que nem imaginam. A junção de todas as vontades, pensamento de liberdade, e ações motivadas pelo álcool, faz com que muitas crianças nasçam nove meses após ao Carnaval. É uma orgia, que parece ser institucionalizada. Se durante o ano é "estranho" ver um homem - hetero - usar roupa feminina, neste período é até divertido. Esta sensação é incomum e não sei de quando remonta, mas é bem divertido, quando se consegue ver todas estas alterações de comportamento social. E não se trata de aprovação ou reprovação. As pessoas que gostam tem mais é que curtir, mesmo. O ideal é ser feliz. Só fica a dica para a prevenção.