quinta-feira, novembro 25, 2010

Os quereres

Vontade de escrever; vontade de abraçar; vontade de sentir; estou cheio de vontades. Quero poder deitar, novamente, só para ter a sensação de abrir os olhos e te ver; quero colocar a mão no teu peito e sentir o pulsar do teu coração; quero beijar sua boca, sentindo o gosto da liberdade, da esperança, de tesão mesmo; quero passar frio para ser aquecido; quero ser mimado; quero tudo ao mesmo tempo; mas o que é o tempo se não um contador para esperarmos, ou agirmos, pelo que vem depois?

terça-feira, novembro 16, 2010

A história do camelô


Não se trata de uma defesa do empresário Silvio Santos, mas de uma análise sobre o que sinto, e o que vejo acontecer nos últimos anos. O cara é, inegavelmente, um grande empreendedor. Fez do pouco um muito. A forma como chegou a ter tudo o que tem hoje, é conhecida de todos. Sempre foi bom negociador e tem um carisma ímpar, o que fez com que convencesse a muita gente a adquirir seus produtos e os jogos legalizados. Toda essa habilidade o fez virar o Homem do Baú, a criatura da risada mais repetida da história. Eis que se vê diante de uma situação inusitada e, porque não, triste. Sua financeira, o Panamericano, vira notícia de página indesejada. Maquiagem de balanços, prejuízos, desvios, enfim, crimes financeiros envolveram esta, que é uma das 44 empresas do Grupo Silvio Santos. Dá para acreditar que ele não sabia de nada, como disse?
Sim. Dá. Não é a primeira vez que um empresário como ele é vítima da sua falta de conhecimento sobre as movimentações financeiras feitas em seu patrimônio. O pior é que, na confusão, aparecem nomes de parentes dele e da esposa. O que não dá para acreditar é que, ao chegar aos 80 anos, ele se vê obrigado a colocar tudo que conquistou em jogo. Pôs todos os empreendimentos, a maior parte bem sucedidos, no pendura para garantir o empréstimo que salvou o Panamericano. Quem mais faria isto? Quem mais se preocuparia com a imagem desta forma? Quem mais teria este tipo de atitude, que assusta a seus funcionários, mas que dá mostra de que ainda tem muito a oferecer e que pode conseguir sair por cima?
Só o tempo dirá como vai terminar a vida o camelô carioca que virou bilionário.

sexta-feira, novembro 05, 2010

Tarados

Talvez pelo calor que faz no Brasil, pelo formato dos corpos - todos bem definidos, gostosos e tal - somos bem tarados. Isso vemos nas ruas, quando homens não conseguem conter o seu ímpeto e soltam um sonoro: "Daí gostosa!". Estou chegando a esta constatação ao analisar as estatísticas deste blog. O post mais acessado, disparado - coisa de dez vezes mais do que o 2º lugar - tem o título "Coxa grossa". O conteúdo não tem nada a ver com as torneadas coxas de uma mulher e do Roberto Carlos (jogador de futebol), que ilustraram o post. Na verdade, falava sobre a possibilidade de problemas cardíacos para quem tem esta parte do corpo avantajada. Certo que o pessoal não estava tão preocupado com a saúde. Somos tarados, mesmo.

quinta-feira, novembro 04, 2010

Leite

O leite é fundamental na vida do ser humano, desde o seu nascimento - primeiro o da mãe, depóis o da vaca - até a terceira idade, quando auxilia na prevenção à osteosporose. Agora, você sabia que pode servir para produzir isopor? Quer saber mais sobre isto? Acessa o www.revistaleite.com.br

quarta-feira, novembro 03, 2010

À flor da pele

Os ânimos estão à flor da pele. Nas ruas, nos ambientes de trabalho, nas creches, enfim, por onde se passa há a percepção de que somos um vulcão em erupção. E para explodirmos e jorramos toda nossa lava quente e devastadora não é preciso muito. Bastou respirar em tom mais alto ou ofegante, olhar disperso ou com muito afinco, que já detonamos nossa ira. É verdade, estamos próximos do final do ano - o Papai Noel até já dá a cara nas vitrinas - e o pessoal já se mostra cansado, como se tivesse necessidade de férias. Mas será que este é o único motivo de tanta revolta? Admito que não sei. O que vejo é uma turma de gente armada até os dentes, pronta para descarregar. A sugestão é colocar os pés na terra, jogar futebol descalço, fazer muito amor com a pessoa que ama, gastar muita energia e relaxar.

terça-feira, novembro 02, 2010

Explicação do baixo salário

Existem muitos profissionais que recebem bem menos do que merecem. É o caso dos professores e dos jornalistas. Adianto que este é um texto de interesse próprio, pois a intenção é abordar o baixo rendimento daqueles que trabalham nos órgãos de imprensa. Antes da Justiça cometer a barbaridade de jogar o diploma no lixo, a criatura tinha que gastar - por baixo - entre R$ 50 mil e R$ 80 mil para se formar, ganhar o canudo e ir para a disputa cruel do mercado - lógico que aos bons sempre existe uma porta aberta. Conseguido o trabalho, fica sabendo que vai receber R$ 1.240,00 (já com o aumento). Isto representa pouco mais do que dois salários mínimos. Mesmo partindo de uma classe mais abastada, vai direto para C, na berlinda com a D.
O que explica alguém buscar esta profissão? Resposta: o status quo. E agora não é uma exposição só do meu "eu". É apenas uma análise sobre o que tenho visto. É curioso ver como a repercussão da matéria feita pelo jornalista o encanta. Parece que fez mais com o propósito de ouvir o barulho do que com a finalidade de informar. Daí, se dá um barulhão, então, vale mais do que dinheiro. Chegou-se à explicação: o status da matéria vale mais do que aquele salário baixo que ganha. Assim, não se esmera na luta por maiores rendimentos. Para conseguir bastante dinheiro acaba trabalhando em muitos locais ao mesmo tempo e fica maluco.
Acho que nós, jornalistas, nascemos para ficarmos malucos! E é assim que é bom! Poderia ter um salário maior. Ninguém ficaria magoado se fosse maluco e rico.

Eles estão no comando

As mulheres estão cada vez mais no comando. O país acaba de eleger Dilma presidente da República. Os gaúchos se anteciparam e colocaram Yeda Crusius como a primeira governadora. Os lajeadenses foram ainda mais audáciosos e já tinham Carmen Regina - para dois mandatos - na chefia da Prefeitura. Mas não é só no poder público que isto ocorre. Nas empresas, boa parte dos cargos de chefia estão nas mãos de mulheres. Exemplo claro é a Rede Vale de Comunicação, que publica O Informativo. Por andares: Recursos Humanos: mulher; classificados: mulher; assinaturas: mulher; financeiro: mulher; tráfego: mulher; cobrança: mulher; impressão: homem; redação: homem e mulher; arte: mulher; comercial: mulher; RP: mulher; regionalização: mulher; fundação: mulher; administração geral: homem; cozinha: mulher; Mazup: homem. Ou seja, foram elencados 16 setores e apareceram só quatro homens. Os resultados positivos mostram que não foi uma escolha ruim - ao menos na Rede Vale.

R$ 10,00

Tem um anúncio que aparece, vez por outra, neste blog, que está me deixando encasquetado. É o que mostra alguns hambúrgueres e fala na possibilidade do cidadão comer quantos suportar por R$ 10,00. Pelo menos foi o que entendi. Se bem se conhece estes são muito parecidos com aqueles do McDonald, que costumam ser bem pequenos. É uma oportunidade de lotar a pança por bem pouco.

segunda-feira, novembro 01, 2010

Mudança? Nããããããããoooo

Parece que terei que me mudar. Não quero; não gosto; não curto qualquer tipo de mudança. Sou pacato, parado, na minha. Sei que muitas são para melhor - a maior parte delas, é verdade - mas me desamino só de pensar que devo agilizar as coisas para que mudem. Quero ficar como estou; quero a marca da minha bunda no sofá da sala; quero as coisas como são. Não se assuste! Não sou tão parado - apenas estou irritado com a ideia da mudança por uma série de outros fatores. Vai ser bom no final. E que assim seja!!!